Dias 72 e 73

Segunda e terça-feira!

Eu realmente não esperava que o vídeo fosse ficar tão bom depois de renderizado!

Fora isso, mais aulas de VDP – incluindo uma nova oficina de Unity!

Essa segunda-feira foi dedicada a postar o vídeo de quinta-feira passada (Dia 68). Ah, também pensei em como melhorar/finalizar o Asteroids que fizemos na terça-feira.

O resultado final é ridiculamente simples – O jogo nem conta pontos! – mas foi um aprendizado bom. Se vocês quiserem dar uma olhadinha, aproveitem esse link!

Ah, os controles do jogo:

  • Setas para se mexer
  • Shift da esquerda (a setinha debaixo do Caps Lock) para atirar.

Se você tiver que baixar o Unity WEB player, não se preocupe, é assim mesmo. Ah, o jogo não deveria funcionar em tablets, então cuidado!

Pra finalizar, já que o projeto:Itália agora vai rolar em casa, comprei um tapete, desses de academia. Enquanto isso, vamos dar uma olhada em séries de exercícios…

Terça-feira foi uma bomba. O motivo?

Hoje foram apresentados os conceitos de jogo escolhidos pela turma, para desenvolvimento. O meu conceito, que agora posso tornar público, se baseia no jogo “Passa ou Repassa” – Double Dare, “negli Stati Uniti” – porém feito no tablet, e levantando a mão do tablet, não batendo nele.

Para quem estiver interessado, o texto inteiro pode ser lido aqui, em inglês: game concept

Antes de apresentar os vencedores, o professor Lanzi terminou os slides conceituais de elementos dramáticos com o ponto que faltava: os personagens.

Personagens são um dos principais para contar uma história – e, com isso, informar ao jogador o tipo de jogo que ele está jogando, quais os seus objetivos, fazendo com que todas estas coisas sejam interiorizadas pelo jogador. Não necessariamente o personagem precisa ser humano, mas ele deve ser simpático ao jogador.

Isto nos leva a 4 perguntas sobre um personagem:

  • O que ele(a) quer?
  • O que ele(a) precisa?
  • O que os(as) jogadores(as) esperam?
  • O que os(as) jogadores(as) temem?

Essas são perguntas que permeiam a criação de um personagem – de qualquer personagem no jogo.

No final, estes são mecanismos para contar uma história. Em seguida, falou-se um pouco da construção de mundos e sobre o arco dramático, isto é, como você constrói o drama da história. Para isso, algumas opções foram apresentadas:

  • O tradicional arco de exposição, incremento, clímax e resolução, muito usado em Hollywood (quer um exemplo? Os vingadores / Avengers. E eu nem vi o filme inteiro pra saber. Outro? Transformers. Qualquer um deles).
  • A saga do herói, um método levemente alternativo de estruturar a história (pense em Harry Potter, Star Wars…).
  • Tensão em escada. Ou seja, no primeiro momento, você encontra um desafio e este vai sempre incrementando, aparentemente sem fim. Exemplos bem comuns são endless runners, a saga de jogos com doces, entre outros. Na literatura, imagino que o exemplo mais próximo é Desventuras em Série.

E, após este crescente de tensão, conforme a aula se desenvolve, chegamos ao clímax: a apresentação dos vencedores!

Claro que eu não fui um deles.

Tiveram vários jogos BEM LEGAIS escolhidos, e outros que eu pensei “Meh, mais do mesmo?”. Bom, opinião particular, mas fazer oq. Vou dar uma comentada nos 20 concepts selecionados:

  • Back Into the Ground – Plataformer com elementos de controle de gravidade. O personagem também possui um tentáculo de polvo pra se segurar em objetos. Acabei achando o jogo sem graça.
  • Z-aXYs – Shooter em um cilindro. Pelo que entendi, o concept não planeja nenhuma novidade na jogabilidade, mas pretende ter um visual frenético. No final das contas, não curti muito.
  • Quest for Awesomeness – Esse daqui falou no meu coração. Quatro aventureiros estão indo ao castelo do vilão derrotá-lo, porém acompanhados de quatro sortudos vencedores de um prêmio de “Veja seus heróis em ação de perto”. Claro, os heróis morrem no primeiro minuto de história e resta aos noobs premiados concluir a aventura. Com uma história dessas, como não gostar? O jogo, mecanicamente falando, é tipo o Castlevania ou Metroid antigos – época do Super Ness – com elementos de RPG clássico.
  • Elements Supremacy – Times contra times, com objetivo de recolher artefatos. 4 jogadores controlam diferentes elementos cada. Achei bem simples, nem a história de uma batalha épica entre o Unicórnio Rosa Invisível e o Monstro do Espaguete Voador conseguiu me prender…
  • Just a Fantasy – Um sonho decide se rebelar contra a realidade e libertar todos os sonhos infantis para tornar o mundo um mundo mágico e encantador novamente – ou um lugar horrível de pesadelos! Plataformer 2D (Mario do nintendinho, para os leigos), o jogo parece apropriadamente pirado para ser divertido. Afinal de contas, é só um jogo, né?
  • Class Olympic Games – Party game sobre coisas que fazemos na escola. Basicamente uma mistureba de minigames pra 4 jogadores em um PC. Parece legal, mas não tenho certeza.
  • The Heartless Cuckoo – Leve o cuco à engrenagem-coração. Não, obrigado.
  • Disturbia – Este é sobre pessoas com problemas mentais. A ideia é cada fase você enfrenta uma doença diferente – e a doença é usada como base para o projeto da fase. Parece interessante, mas o concept não ficou muito claro.
  • Parallel Realities – Portal com espelhos. Vejamos onde isso vai acabar.
  • Teddy Beer – O urso teddy agora virou um alcoólatra que deve ser guiado até as canecas de cerveja. Talvez tenha seu público, mas eu não sou.
  • Beardbarian – Um Viking fracote e covarde recebe uma barba mágica para salvar sua vila! Como eu não pensei nisso antes? O jogo, novamente no estilo Castlevania e Metroid, pira em como usar a barba para atacar. Uma ideia genial.
  • The Wideogame – Running game entre duas pessoas. Uma delas escolhe o tipo de fase e o jogo vê qual chega ao final com menos mortes. Infelizmente running games não são meu gênero favorito.
  • B/W World – The legend of zelda (os mais atuais, pelo menos), onde você tem que re-colorir o mundo. Gostei dele 😀
  • Party vs Boss – 4 jogadores, um deles é escolhido como o vilão, os outros devem derrotá-lo! Simples, direto e massacrante. Definitivamente divertido.
  • Gum Run – “Você é uma goma de mascar” O jogo me ganhou aí. A ideia é que o personagem muda de forma pra atravessar obstáculos. Esse endless runner parece divertido.
  • Laika 2.0 – Plataformer onde você é um chimpanzé com poderes psíquicos treinado pela KGB. Não precisa dizer mais nada 😀
  • Universe Undead – Se torne imortal matando você mesmo em outras realidades! Uma ideia bem viajada e interessante, mas fiquei pensando: “Como implementar?”
  • The Deepest Darkness – Com o PS Move, ilumine o castelo e encontre a saída. Se não fosse com o playstation….
  • Deep Lights – você é uma água-viva mutante que tem que comer lixo radioativo. Cadê o botão de “curtir”?
  • Die On Me – você controla o vilão da história e tem que fazê-lo se matar. Achei o plot bem bobo, então nem dei muita importância. Por algum motivo, o pessoal gostou e este foi o mais votado.

Depois disso, fui até o auditório do departamento de eletrônica e, junto com mais uma galera, conversamos sobre os jogos e começamos a montar equipes. Pensei de entrar no grupo do Disturbia, mas ele começou a ficar lotado rápido. Ainda não sei de qual jogo quero participar.

Depois, oficina de Unity, desenvolvendo um plataformer. Tiramos os sprites deste jogo.

Não ficou grande coisa, mas você pode conferir o resultado aqui.

Ufs, foi cansativo. No resto do dia, ouvindo umas músicas de bandas desconhecidas na internet. Afinal de contas, é melhor tomar cuidado com direitos autorais no Youtube (se eu for colocar mais músicas nos videos :D).

Anúncios

~ por nesello em 2014 11 09.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: