Dia 30

Última semana das aulas de italiano.

Parece que a água bateu na bunda da galera e todo mundo está preocupado com o teste de italiano nessa sexta-feira. As professoras falam sobre, os colegas dizem que não sabem como vão. Alguns dizem estar com medo.

Eu? Sei lá. Não costumo ter medo de provas (eletrônica 2 e controle são notáveis exceções), mas ainda assim estou estudando.

Conjuntivo
Passado Imperfeito
Modos coloquiais de falar
Pronomes Compostos
Preposições

O italiano e o português são parecidos demais em construção.

Ainda não tivemos resposta sobre o estábulo no San Siro que o Vitor, a Lívia e o Gustavo vão locar. Sério, já tá virando enredo de novela mexicana isso.

Aproveitei a maior parte do dia para ler coisas nas webs (desperdício de tempo) e escrever coisas nas webs (aproveitamento de tempo). Ao final da noite (após jantar bife, pão e queijo), me matei de estudar com o pessoal.

O italiano não é um idioma difícil para falantes do português aprenderem. A construção das frases é semelhante, existem diversas palavras que batem ou se aproximam na pronúncia, e a construção de frase é bastante semelhante. No básico, aprendemos a criar orações mais simples, com as construções do tipo “Eu sou” e “Eu estou”. Se tem algo de interessante é que os pronomes são totalmente inúteis na frase, a conjugação dos verbos segue à risca as pessoas possíveis (ou seja, não é comum o uso de “você” – essa é uma forma de tratamento formal). Ou seja, muitas vezes simplesmente excluímos o sujeito das frases (quando ele é indicado por um pronome).

Conforme as coisas vão avançando, os tempos verbais – e as construções – vão se tornando mais complexas. Orações primárias e secundárias, onde uma oração é a principal e outra, auxiliar, é colada por diversos conectivos ou pronomes combinados/com preposição. Orações no passado que tratam de eventos em momentos diferentes (usando passato prossimo, imperfetto, trapassato prossimo…), orações onde se exprime opinião/dúvida, orações no futuro tratando de eventos encadeados…

Nessas horas eu lembro por que adorava ficar construindo frases na escola. Sério, isso ajuda pra caramba a aprender outras línguas latinas.

Mas nem tudo é tão fácil. Eu tenho um medo terrível de falar alguma coisa errado, alguma coisa que não exista, ou pior, cometer um falso cognato (em termos de Processamento de Sinais, um falso positivo). Por exemplo, as seguintes palavras: Seidice, daí e morbido.

A primeira é um número, aquele entre o Quinze e o Dezessete. Repare na construção da palavra 😀

A Segunda é um dos conectivos mais usados coloquialmente por mim. E ainda não achei um substituto pra ele.

A terceira significa macio. Nada a ver com Mórbido, algo ligado à morte e doença.

Ainda assim, acho que irei bem no teste. Talvez eu deva dar uma estudada maior nas preposições e no imperfetto, mas de qualquer forma, penso che non sia un esame dificile per me. Aspetto solo che nel test ci saranno dei domande piú diverse che in quello che abbiamo fatto nel mese scorso.

Bom, essa é a hora que eu vou dormir. Boa noite pessoas.

TL;DR: teste de italiano essa semana. To tranq, mas geral tah preocupado. 22/09.

Este post é dedicado aos vários professores e professoras de português que tive, tanto no ensino fundamental quanto no médio. Muito obrigado!

Anúncios

~ por nesello em 2014 09 23.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: