Dias 19 – 21

Nervosismo.

Medo

Tensão

Uma coisa é você independentemente tomar uma decisão (normalmente ponderada, analisada e observada por alguns ângulos, dentro do tempo e espaço disponíveis). Outra coisa é você conversas sobre sua decisão com outras pessoas.

Eu fiquei bem contente com o apartamento que, para mim, já estava resolvido – era só dar um jeito de conseguir todo o dinheiro que eu precisava pra fazer o pagamento. Mas né, desconfiança é uma daquelas coisas que podem ser plantadas, e, iniciante como sou, segurança ao realizar um negócio (e particular envolvendo somas de dinheiro muito grandes) é algo que ainda não tenho.

E assim começou minha quinta-feira, quando conversei com o Vitor e colegas no intervalo da aula de italiano: “Não sei cara, é meio arriscado alugar direto com o proprietário.”

Palavras tem um peso. Sei disso a ponto de buscar sempre as palavras apropriadas, precisas. E, nesse momento, as palavras do Vitor pesaram.

Essa frase reacendeu a tocha da desconfiança, aquela que diz para sempre tomar cuidado, buscar mais informações, prestar atenção aos detalhes… Em questão de horas, fiquei com medo de sofrer um golpe imobiliário, de estar negociando com mafiosos, de que o locatário fosse uma pessoa ruim… Enfim, coisas não boas a respeito do aluguel e do proprietário passaram por minha cabeça.

Como consegui sair dessa eu ainda não sei. Recuperar um pouco de certeza e frieza (“Essa é uma decisão minha, eu que conversei, que vi…”) precisou de tempo, música e estudos. Aproveitar a quinta-feira para fazer exercícios de italiano (tive prova ontem), juntar uma parte do dinheiro para o aluguel… Essas coisas somente eu poderia fazer e possivelmente elas trariam novamente clareza às minhas ideias.

Ainda na quinta-feira corri com mais uma galera aqui do alojamento. Tem uma praça/parque perto, visitada por pais, crianças e outros corredores/esportistas, bastante agradável. Vou trazer umas fotos de lá depois (preparem-se, pois esta é uma das soluções de urbanismo mais interessantes que vi em áreas modernas de Milão). Ainda estou fora de forma, mas acho que até o retorno minha barriguinha já era.

Minha janta foi uma coisa bem porca. A fome não era muito grande, e tinha um queijo (muito gostoso) na geladeira, que eu acho que deveria sair de lá. Juntei a isso umas almôndegas doadas pela Desireé. A conclusão à qual eu e Leo chegamos é que elas estavam piores que as do Bandeca (da USP) e do RU (da UTF). Mas proteína é proteína, então comi. Pra fechar, uns pacotes de salada completaram a refeição.

Sexta-feira amanheceu dizendo: VOCÊ ESTÁ FERRADO! Afinal, uma provinha de italiano estava marcada e eu estava inseguro se ia conseguir dinheiro suficiente para o pagamento do aluguel. A prova foi ruim, mas poderia ter sido BEM pior. Ainda não manjo dos paranauês do Trapassato prossimo, minhas habilidades com pronomes e preposições não melhorou muito, e a gente tinha uma carta pra escrever pra um amigo (Confissão: Em duas provas diferentes havia o tema escreva uma carta. Para a primeira, o escolhido foi o parsa do italiano – e muito mais coisas – Toscan, enquanto que para essa, o destinatário é o amigo de longa data Ugo). No final, parece que eu consegui terminar tudo, enquanto outros colegas meus não.

Depois teve FILME. Um filme MUITO legal, chamado Happy Family. O filme trabalha com Metalinguagem, contando a história do autor enquanto este escreve o próprio filme, de uma maneira muito divertida. Seguem avisos: O filme não é um blockbuster norte-americano, possui algumas quebras de continuidade (conforme o autor decide continuar ou não a história que escreve) e transita entre gêneros (embora de uma maneira cômica). De qualquer forma, é um filme super agradável de se assistir.

O almoço na mensa estava gostoso (Tinha macarrão ao molho de salmão!), mas foi um almoço solitário. O pessoal do alojamento decidiu sair da aula logo depois do filme – mesmo que restasse meia hora de aula. Acabei ouvindo conversas em italiano, uma tentativa simples de melhorar o meu.

Logo logo voltei ao problema principal do dia: sacar dinheiro.

O cartão no qual recebemos a bolsa do CSF possui um limite de saques em caixas automáticos: 500 (moeda) por dia. Ou seja, se fode aí pra pagar grandes somas. Já prevendo essa complicação, eu carreguei um pouco mais de dinheiro no TravelMoney que tenho, assim, eu não consigo tudo de um, completo com dinheiro do outro cartão. Meu medo era que simplesmente não houvesse uma sequência de saques que me favorecesse (faltavam 600 euros pra completar o pagamento inicial).

Felizmente consegui sacar essa dinheirama toda (nunca tive tanto dinheiro em espécie!), conseguindo a grana pra fechar a locação de quarto. Então era hora de fazer negócios.

Tudo transcorreu bem, contrato bastante claro (felizmente minha leitura de italiano não sofre), converso tranquilamente com o proprietário… Uma maravilha. Medos infundados, adeus. Agora estou com a chave de minha nova casa, e durante a semana devo realizar a mudança. Para ir me acostumando, dei uma passada rápida no apartamento (não sem antes errar a porta do prédio e ficar desesperado achando que tinha a chave errada). Lá estava um dos meus 5 colegas de AP: O Chinês/Sérbio Nikola (ainda não sei como se escreve o nome dele 😦 ). Conversamos um pouco sobre o AP, perguntei como ele e os outros moradores encaram janta, compras, essas coisas… Muito legal. Ah, estou começando a confundir italiano e inglês, no sentido de começar frases em um idioma e terminar no outro. Isso é horrível.

Depois o colombiano (cujo nome não lembro) chegou, mas eu já estava de saída. Vazei e fui novamente pro campus. Pessoal meio sem ideias do que fazer, alguns querendo ir pra balada [puta povo festeiro…], outros querendo só encontrar um lugar pra beber. Para mim, beber era mais interessante que a balada – e que ficar no alojamento sozinho. Após uns 5km de corrida e uma janta mega miserável (pão/torradas com philadelphia) saímos em busca de um lugar com cerveja. Logo na saída do alojamento, encontramos uma indiana muçulmana, indo não lembro aonde. Sério, aqui no alojamento tem de tudo com relação a nacionalidades. Isso é muito legal 😀

Penamos um pouco para achar um lugar para ficar – Falaram sobre uma “naviglie dos pobres” (Lê-se: Navilhe), mas ninguém sabia onde era. Acabamos parando no Birrificio Lambrate.

Desculpe Gui, Bruno, e galera que curte bares, mas esse lugar é DEMAIS.

Para começar, o lugar estava cheio – mas não como bares no Brasil, onde as pessoas se amontoam dentro do estabelecimento. Tinha mais gente bebendo cervejas artesanais FORA do birrificio que dentro. Entrar no lugar para conseguir bera também não foi difícil – mesmo estando em um grupo de 8 pessoas. Após entrar, a surpresa: um bar Rock’n’roll! Noitada acima de 8000 😀

Conseguir a cerveja não foi muito fácil – o balcão, embora grande, possui apenas dois conjuntos de torneiras, e dois atendentes. Ainda assim, conseguimos todos (Eu, Vitor, Leo, Gustavo, Derireè, Amanda, Nicole e Lívia) uma bebida. O Leo não está muito acostumado a beber, então acabou pedindo uma cerveja mais adocicada. Eu pedi uma bem amarga (não lembro exatamente o nome), mas era boa. Parte melhor do momento foi sentar e começar a beber ouvindo esta música:

I Cento Passi

O nome é familiar? Deve ser. Falei do filme homônimo em um post anterior. E os primeiros goles de birra vieram sob uma das músicas mais incríveis da banda que curto pra cacete. Depois disso, já sabia, lá no fundo, que ali é um lugar pra lembrar.

Celular novo não tem câmera muito boa [/sad]

Celular novo não tem câmera muito boa [/sad]

A noite foi longe. MotorHead, Pearl Jam, AC/DC, Guns’n’Roses, só pra nomear algumas das bandas que tocaram. A cerveja, forte, é notavelmente mais intensa que no Brasil – 5,5% de graduação alcoólica. Amarga, um gosto que, na minha cabeça, só pode ser associado ao álcool. Papo foi longe, comemos (Pedi um tal de Golgi Burguer, delicioso – O endereço do bar é Via Golgi, por isso o nome do sanduíche), ficamos putos com uns caras em uma mesa ao lado (que estavam exagerando na falta de educação), mas, no final, nos divertimos.

Parte “ruim”: O bar fica a uma quadra da universidade. Do AP novo, uns 15 minutos de caminhada (sóbria).

Sobre o preço da cerveja: Um copo “médio” (chuto eu aproximadamente 500ml) custou 5 euros. Para cerveja artesanal, parece um preço muito convidativo. Comparando com Heineken, que pode ser comprada no mercado por algo perto de 1 euro o litro, achei muito melhor a local. Agora convido vocês a fazer uma breve comparação: Será que a cerveja artesanal é mais cara no Brasil, ou aqui?

Chegamos de volta no alojamento perto das 2 e meia da manhã. O sono foi fácil e certeiro – acordei só às 10, mas enrolei até 11 da matina pra levantar.

Almoço de sábado: strogonoff de frango – isto é, se os fogões funcionarem. Depois de meia hora (e mais um monte de estudantes italianos querendo cozinhar) tudo voltou ao normal (embora um dos fogões estivesse faiscando – acho que ele está em curto. Ah, os fogões aqui são elétricos). Erramos no arroz (empapou), e pareceu que erramos na quantidade de strogonoff – embora eu ache que estivesse exata.

À tarde fomos no Parque Sempione, outra vez, jogar frisbee. E isso foi o que menos fizemos. Um rapaz estava passeando com o cachorro e a Lívia teve um ataque de fofura – totalmente justo, já que o Labrador de pelos creme tinha três meses de idade. Ele inclusive buscava o disco! De qualquer forma, acabamos jogando pouco, mas conversando muito (especialidade do Vitor). Com sorte, até voltar ao Brasil eu fico bom nessa parada de Frisbee. Para jantar, fomos até Naviglie procurar uma pizzaria – nem lembro quando foi a última que comi – se deliciar um pouquinho. Muito gostosa. Ainda não achei uma pizza que fosse ruim (mas já indicaram gelaterias para não ir).

Agora à noite um pessoal foi pra balada. Nah, desnecessário. Depois do fiasco de balada que foi ontem (enquanto eu fui no Birrificio, outros foram em uma balada gay – curiosamente só souberam disso DEPOIS de entrar…), eu que já não animo muito de ir nesses lugares desisti de vez. Melhor para vocês, que agora podem ler este texto…

Até o próximo galera!

TL;DR: cervejaria tesão na itália E perto do novo AP (que deu tudo certo)!!!!!

Anúncios

~ por nesello em 2014 09 13.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: